Joseph Shafan

"Então uma voz se elevou do abismo. Era o grito da Luz"  Visão de Hermes

Textos

Reforma Ortográfica: Um Guia Prático

O Acordo Ortográfico, que unifica a ortografia da língua portuguesa, vem trazer grandes benefícios a todos os usuários de nossa querida língua. Algumas pessoas, entretanto, se sentem um pouco confusas acerca do que irá acontecer. Por conta disso, é necessário esclarecer que o Acordo só altera a forma de escrever algumas palavras e que a forma de falar continua a mesma.

Até aqui, a língua portuguesa tem dois sistemas ortográficos (sistema de grafar - escrever): o nomeado português de Portugal, também adotado pelos países africanos de língua portuguesa e o Timor (dito na web como pt-pt), e o brasileiro (dito na web como pt-br). Essa duplicidade tem dificultado a internacionalização da língua, o que inclui teses de estudos, documentação (de conferências, reuniões, manuais, etc), livros, sites oficiais e tantos outros, que necessitam ser duplicados, implicando maiores custos. Como exemplo, o site oficial das Nações Unidas (http://un.org) não tem versão em Português, sendo necessário existir um site (http://onu-brasil.org.br) exclusivamente editado para o portugûes brasileiro. Já o jornal-site "Rádio das Nações Unidas" tem duas versões da língua portuguesa. A partir do Acordo Ortográfico, esses e outros problemas irão diminuindo com o tempo.
Para o português do Brasil o Acordo implica apenas 0,5% de alterações na grafia vigente; já para o português de Portugal será 1,6%.

Como em qualquer mudança, existem receios que, com o decorrer do tempo, se mostram infundados. Exemplos disso, mostro aqui dois citados pela Wiki: -"Imaginem esta palavra phase, escripta assim: fase. Não nos parece uma palavra, parece-nos um esqueleto (...) Affligimo-nos extraordinariamente, quando pensamos que haveriamos de ser obrigados a escrever assim!"; e -"Na palavra lagryma, (...) a forma da y é lacrymal; estabelece (...) a harmonia entre a sua expressão gráfica ou plástica e a sua expressão psicológica; substituindo-lhe o y pelo i é ofender as regras da Estética. Na palavra abysmo, é a forma do y que lhe dá profundidade, escuridão, mistério... Escrevê-la com i latino é fechar a boca do abysmo, é transformá-lo numa superfície banal." (pouco antes da Reforma Ortográfica de 1911).
Quanto às resistências atuais fico com a opinião do ministro da Cultura português, José Pinto Ribeiro: “"Há uma alteração na ortografia portuguesa, como há na ortografia do português escrito no Brasil, que perturba alguns dos escritores e poetas, que têm uma relação com a língua quase física. As pessoas que são poetas sentem que as palavras têm cheiro, cor, volume, densidade, peso.
Quando a gente escreve durante anos cisne com "y" e passa a escrever sem aquilo, perturba. Fernando Pessoa disse, quando houve a reforma ortográfica de 1911: "eu vou continuar a escrever cisne com 'y' porque isso me lembra e é mais conforme com o pescoço comprido do animal".
Com certeza tudo isso é respeitável, ninguém impede que os escritores continuem a escrever como quiserem. Há umas pessoas agora que acham que isto lhes causa confusão. Pois não há problema nenhum. Também há umas pessoas que acham, politicamente, que Portugal deveria assumir uma atitude de olímpicos interesses em questão ortográfica. Acham mesmo que a questão ortográfica não é uma questão importante e, portanto, acham que nós estamos no fundo a ser regidos, dirigidos, determinados pelo Brasil, em vez de sermos determinados por nossos próprios interesses.
Nada disso é verdade. Não há mais legitimidade dos portugueses ou dos brasileiros para definir a norma, porque somos todos falantes do português. Da mesma maneira como há palavras que são diferentes entre o Porto e Lisboa e há formas de escrever que não são as mesmas, mas isso não tem problema nenhum, é normal. Portanto, aquilo que estamos a tentar fazer é unificar a grafia.
Os escritores, os poetas, as pessoas são livres para escreverem como entenderem. Não tem mal nenhum, não se paga multa se escrever farmácia com "ph". Se os romancistas o quiserem fazer, ótimo. Provavelmente o que vai acontecer é que daqui a 10, 15, 30 anos, estarão todos tão habituados que
escreverão todos como agora se passará a escrever."”

Com o intuito de facilitar o entendimento daquilo que envolve mudança para nós brasileiros no presente Acordo, recomendo os seguintes links (com destaque para o da Livraria Melhoramentos que permite fazer o download de um Guia Prático da Nova Ortografia no formato .pdf):

- Guia Prático da Nova Ortografia Michaelis-Melhoramentos
www.livrariamelhoramentos.com.br/Guia_Reforma_Ortografica_Melhoramentos.pdf

- Histórico do Acordo Ortográfico - Wikipédia
pt.wikipedia.org/wiki/Acordo_Ortogr%C3%A1fico_de_1990

- Lista das alterações previstas pelo acordo ortográfico de 1990
pt.wikipedia.org/wiki/Lista_das_altera%C3%A7%C3%B5es_previstas_pelo_acordo_ortogr%C3%A1fico_de_1990

- Novo Acordo Ortográfico-Compilação dos Artigos do Professor Carlos Alberto Faracco
www.marcosbagno.com.br/conteudo/arquivos/for_novoacordo.pdf

- Artigo "Tire dúvidas sobre o que é a reforma ortográfica"
gazetaweb.globo.com/v2/educacao/texto_completo.php

- Ortografia da Língua Portuguesa - Wikipédia
pt.wikipedia.org/wiki/Ortografia_da_l%C3%ADngua_portuguesa

- Academia Brasileira de Letras
www.academia.org.br/

- Mudanças mais importantes da Reforma Ortográfica - Artigo
papodehomem.com.br/reforma-ortografica-guia-rapido-para-voce-reaprender-a-escrever/

www.shafan.prosaeverso.net/


Joseph Shafan
Enviado por Joseph Shafan em 15/01/2009
Alterado em 05/02/2010
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras