Joseph Shafan

"Então uma voz se elevou do abismo. Era o grito da Luz"  Visão de Hermes

Textos

Magna Mater e o Pinheiro

Magna Mater era amante ciumenta de Seminis. Certa feita, durante um ataque de ciúmes, Magna Mater matou, castrou e em seguida enterrou seu amante. Arrependida porém, chorou copiosamente sobre o túmulo o que fez surgir o pinheiro. Por essa sequência, surgiram as estações do ano.
Essa tradição de uma deidade de vida, morte e ressurreição, oriunda da Anatolia, penetrou na Grécia e depois em Roma, desde cerca de 600 a. C. Na Grécia surgiu como o culto a Cibele e em Roma como veneração à deusa Magna Mater; religiosidade simbolizando a Mãe Natureza e sua contínua renovação.
Importante também notar a representação do pinheiro como símbolo de nova vida. Nas Saturnálias, antiga festividade romana celebrada entre os dias 17 e 23 de dezembro e dedicada a Saturno, deus romano da agricultura, as casas eram enfeitadas com pinheiros.
Joseph Shafan
Enviado por Joseph Shafan em 19/12/2010
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras